sexta-feira, 4 de junho de 2010

Basquetebol 3º Jogo da final dos play-offs

Uma elevada dose de infelicidade ditou a derrota (97-101) do FC Porto ao terceiro jogo da final dos playoffs, resolvido apenas depois de dois prolongamentos e para lá de um triplo de Nuno Marçal, que igualou a partida a 83 pontos, a três segundos de expirar o último período.

Precocemente excluído, numa de várias decisões polémicas da equipa de arbitragem de Lisboa, Greg Stempin foi, ainda assim, o melhor dos Dragões, mesmo não tendo jogado nenhum dos dois períodos suplementares de cinco minutos, que marcaram o ritmo e a intensidade do encontro da noite desta sexta-feira, no Dragão Caixa.

O norte-americano somou 26 pontos, 6 ressaltos, 3 assistências, 1 roubo de bola e 3 desarmes de lançamento. Nuno Marçal esteve também em plano de evidência, convertendo 5 dos 14 triplos apontados pelos portistas e perfazendo 19 pontos, 3 ressaltos e 4 assistências.

No final, Moncho López sublinhou a qualidade do jogo, «com grandes momentos de basquetebol», e as exibições individuais, «como há muito não via», de Nuno Marçal e Greg Stempin.

O treinador do FC Porto Ferpinta reconheceu ainda que a equipa «não soube gerir os 10 pontos de vantagem» nos minutos finais do quarto período, razão pela qual os azuis e brancos se encontram agora numa «situação limite». «O jogo mais importante da época é no domingo, mas temos a vantagem de jogar no Dragão Caixa», concluiu Moncho López.

Com os Dragões em desvantagem (3-0), numa final da Liga disputada à melhor de sete jogos, a quarta partida, de importância capital para o FC Porto Ferpinta, disputa-se às 16 horas de domingo, de novo no Dragão Caixa.

Liga, final dos playoffs, jogo 3
4 de Junho de 2010
Dragão Caixa, no Porto
Assistência: 1.868 espectadores

Árbitros: José Araújo, Fernando Rezende e Pedro Rodrigues (Lisboa)

FC PORTO FERPINTA: André Bessa (3), Jeremy Hunt (14), Nuno Marçal (19), Greg Stempin (26) e Julian Terrell (15); João Figueiredo (2), Jorge Coelho (6), Carlos Andrade (9), Rui Mota (3), David Gomes (0)
Treinador: Moncho López

BENFICA: Miguel Minhava (5), Ben Reed (12), João Santos (5), Heshimu Evans (30) e Will Frisby (22); Diogo Carreira (22), Eky Viana (1), Sérgio Ramos (4), António Tavares (0)
Treinador: Henrique Vieira

Ao intervalo: 42-37
Por períodos: 20-24, 22-13, 24-24, 17-22, 13-13, 1-5

2 comentários:

dragao vila pouca disse...

Achas que foi infelicidade? Eu estive lá e acho que foi incompetência.

Um abraço

ultrasfcportomatosinhos disse...

Já sei que agora está muito mais dificil para o FCP vencer esta final, mas acho que até ao final deveremos apoiar a equipa e não assobiar como foi o caso, este é o grande mal da mentalidade do adepto português, salvo poucas excessões.

Cumprimentos