quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Oh... mister não percebi...!

Caros portistas, eu só não compreendo como é que AVB aposta em Guarín e Rúben Micael dois médios, e não convoca Walter para reforçar o ataque, isto é muito estranho mesmo, e difícil de compreender. A substituição de James que estava amarelado compreende-se, agora ficar sem soluções a jogar contra 10 é uma grande falha, não se compreende, já bastou a defesa que enterrou por completo a equipa, com excepção de Sereno e Sapunaru que se esforçaram e não comprometeram, um Hulk que de vez em quando pára-lhe o relógio, pois quer fazer tudo e nada faz. Fico com uma sensação que houve durante esta semana um excesso de confiança, só um cego é que não vê, que o nosso adversário directo tem subindo de rendimento nestes últimos jogos, e então facilitamos assim, é o mesmo que ir para a guerra e não levar a arma. Agora pergunto eu para quê tanta poupança no jogo da taça maldita, foi com esta exibição que AVB quis brindar os 47.512 espectadores que marcaram presença numa noite gelada, num jogo realizado a meio da semana em vésperas de um dia de trabalho para muitos? Realmente foi uma excelente motivação para a 2ª mão.

fotosdacurva


6 comentários:

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Ontem foi mesmo dia de Ofertório de Villas-Boas e dos nossos Jogadores a Jesus ...

O Benfica pressionou e lutou para vencer, e teve a felicidade do jogo, pois Varela e James falharam 2 golos na primeira parte de forma inacreditável.

O Benfica entrou melhor tacticamente no jogo, e com uma pressão sobre a nossa linha defensiva, e sobre Fernando, levou a que a ocorressem erros que permitiram chegar aos 2 golos.
Foram anormais os constantes atrasos de bola dos defesas a Helton.
Notou-se nitidamente a falta de um ponta de lança, para a determinada altura do jogo encostar Hulk à linha, para esconde-lo à marcação.

Hulk só em remates de longe e pequenas jogadas de entendimento criou perigo. Foi bem marcado pelos 2 centrais do Benfica.

Destaque para a nossa ala direita. Sapunaru e Varela estiveram muito bem no jogo, e foi por essa ala que criamos as melhores oportunidades.

Maicon esteve péssimo, não compreendo a titularidade em detrimento de Otamendi, que estava a afirmar-se na equipa.

Paulo Baptista, fez uma arbitragem ao seu nível ... péssima, mas sem qualquer influência na justiça da vitória do Benfica.

Nos festejos de Coentrão junto dos adeptos, esqueceu-se de lhe mostrar o amarelo. Júlio César perdeu imenso tempo nas reposições de bola, e devia ter levado amarelo ainda na primeira parte.
Depois mostrou imensos amarelos a atletas do Benfica e Porto injustificados, e Javi Garcia que deu porrada de criar bicho terminou o jogo, e Cardozo que deu mais uma cotovelada, não foi expulso.
Foi uma sinfonia do apito, que travou muitas vezes o ritmo do jogo.

O Benfica tem a gaiola e o pássaro na mão ... resta-nos "acraditar" e na Luz roubar o pássaro.

Abraço

Paulo

http://pronunciadodragao.blogspot.com/

P. Ungaro disse...

Bom dia ... de bom não tem nada, sobre o jogo de ontem o comentario é breve ... acho que devem tirar as devidas ilações para que não se volte a repetir.
E irmos lá dar 3 na 2ª mão ... bola para a frente.

Um abraço

http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.com/

Revolta FCP disse...

Jogo de ontem igual a demasiada confiança e pouca clareza nas opções técnicas do André. Quero pensar que as opções tomadas se deveram mais uma vez a lesões e não a opções tácticas (que neste caso foram desastrosas).

Em relação ao jogo, penso que os decisores são 3: a ausência da normal concentração defensiva portista, a eficácia e pressão alta do jogo do benfica e a falta de uma referência no ataque portista.

Se de uma forma geral o Porto até dominou o jogo, não foi bem sucedido na missão de fazer golos e isso normalmente paga-se caro, ou não fosse a velha máxima de quem não marca, sofre.

Somado a isso a intranquilidade pouco habitual na defesa do porto, algo que não é de todo habitual e um Helton que lembra os dias menos agradáveis do Brasileiro.

Nota positiva para o sector do meio campo que mesmo assim foi o mais acertado, a par de Varela e Sereno (uau... eu a dizer bem do Sereno!)

Não se pode dizer que o Porto ontem tenha jogado mal. Mas também não jogou bem. E mais do que perder um jogo para a Taça com o rival em casa, temo por próximas vezes onde se possa sentir a falta de Falcão.

Acho que não devemos entrar em derrotismos como certos pipoqueiros que ontem aos 70 minutos já abandonavam o estádio e que provavelmente hoje vão encher a bluegoesfera de comentários derrotistas.

Claramente o Porto perdeu ontem por si próprio, no momento em que entrou em campo...

Venha a Liga...

dragao vila pouca disse...

Faltou tudo

E perdemos justamente.
Quando se tem uma defesa, guarda-redes incluído, de papel, um meio-campo trapalhão, disperso, mal organizado, lento a pensar e a executar - salvou-se Moutinho - e um ataque inexistente, é óbvio que não se pode ganhar. Se a isso tudo juntarmos a oferta de dois golos, então, é derrota pela certa. Foi isto, mais coisa menos coisa, o que aconteceu esta noite no Dragão, embora e no que diz respeito, principalmente aos centrais, nada do que aconteceu esta noite se possa considerar uma surpresa: já tinha dito e por várias vezes, que os nossos jogadores do centro da defesa, quando pressionados, parecem baratas tontas e até fui mais longe, aconselhei-os, sobre pressão, a mandarem para a bancada.

Mas foi só isso, há mais e é preciso dizê-lo, que foi uma noite de opções muito discutíveis e não me refiro â opção de Sereno a lateral-esquerdo. Não, não foi por aí que o gato foi às filhoses, mas a Walter, único avançado-centro, nem no banco ter estado, o que levou à entrada de dois médios e refiro-me também ao facto de, mesmo a perdermos por dois a zero, termos mantido os quatro defesas por demasiado tempo, sabendo-se que quer Sereno, porque não é lateral e muito menos esquerdino e Sapunaru porque não tem essas características, não serem capazes de dar profundidade. Porquê André, que medos te tolheram as ideias? Perdido por dois, perdido por três! Porque não arriscar, pelo menos a partir do momento que o clube do regime ficou a jogar com dez, numa solução de três defesas: Sapunaru, Rolando e Maicon, depois Fernando, com Micael, Guarín e Moutinho, no apoio a Varela na direita, Hulk no meio e C.Rodríguez na esquerda? Não digo isto agora, disse-o no estádio e a partir do momento que Coentrão foi expulso.

Enfim, faltou tudo, nesta noite para lembrar e não repetir.

Não vou fazer análises individuais. Tinha de ser contundente com alguns e não quero. Prefiro dzier que o que não tem remédio, a pobre exibição, remediado está e o meu pensamento já está virado para o campeonato. Aí, espero que o F.C.Porto, como grande equipa que é - não é uma derrota que apaga tudo o que de bom foi feito até aqui -, não se deixe afectar e já no domingo dê uma resposta à altura das circunstâncias.

Notas finais: teoricamente estamos fora do Jamor... Mas, como a segunda-mão é só daqui a mais de setenta dias, muita água ainda vai passar por baixo das pontes...
Quando se joga tão mal, mesmo que tenhamos razões de queixa do árbitro, não devemos ir por esse caminho.

Nós não somos calimeros, muito menos pobres de espírito como os adeptos dos vermelhos e a pior coisa que podiamos fazer era agarrar-nos a desculpas esfarrapadas. Mas faço uma pergunta: só os jogadores do F.C.Porto que vão festejar junto e agarrados aos adeptos, é que levam cartão amarelo?
Perdemos bem e ponto final!

PS - Hoje, no fim do jogo, os adeptos do F.C.Porto deram uma grande lição a todos, alguns responsáveis portistas, incluídos, ao aplaudirem a sua equipa, que tinha perdido em casa e frente ao inimigo principal.
No domingo lá estaremos para festejarmos o regresso às vitórias e a continuidade no caminho que nos levará à conquista do principal objectivo da época, o campeonato, agora designado de Liga Zon Sagres.

Um abraço

Dragaopentacampeao disse...

Derrota merecida pela falta de organização, lentidão, falta de dinâmica, displicência, deserto de ideias e ineficácia.

Foi penoso ver tantas falhas comprometedoras e de palmatória. Vulgaridade absoluta frente a um adversário fraco, que se limitou a pressionar alto e tirar proveito dos sucessivos erros adversários.

O FC Porto demonstrou estar a atravessar um período periclitante, não conseguindo disfarçar as faltas de Álvaro Pereira e Falcao.

A eliminatória ficou praticamente decidida.

Um abraço

Dragus Invictus disse...

Bom dia amigo Ultra,

Foi uma derrota difícil de aceitar, porque ninguém a esperava.
Os adeptos, nem a claque que os apoiou do início ao fim, mereciam medonha exibição.
O que mais chateia, é nós sentirmos que somos melhores que eles, e que em condições normais (encararando o jogo com seriedade) o venceríamos sem qualquer problema.

Desta vez não foi por causa do tribunal do Dragão, que os jogadores não renderam. Eles não deram o litro.
Fantástico o apoio da claque e a coreografia mais uma vez foi excelente.

Tinha tudo para ter sido uma noite de sonho, que virou pesadelo.

Abraço e com fim de semana

Paulo

http://pronunciadodragao.blogspot.com