segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Os primeiros 3 pontos já cá cantam.

Três é o número que sobressai e gira em torno da vitória (1-0) com que o campeão começou a defender o título em Guimarães, precisamente onde, na época passada, perdeu os primeiros pontos de uma trajectória sem derrotas. Ao terceiro “round”, depois da goleada da Taça de Portugal e do “tri” na Supertaça, os Dragões voltaram a derrotar o Vitória. Desta vez, em ambiente adverso, para que não restem dúvidas.


4 comentários:

P. Ungaro disse...

Boas,

Não foi um jogo brilhante, mas gostei do que vi, criamos oportunidades para uma vitoria mais folgada, a espaços boas movimentações e trocas de bola ... estamos a crescer.
O mais importante é que para alem de irmos em primeiro ja levamos 2 pontos de avanço para os adversários.

um abraço

http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.com

dragao vila pouca disse...

Primeira-parte bem disputada, mais domínio do F.C.Porto, é verdade, mas o Vitória a sair bem para o contra-ataque e a ter as mesmas oportunidades, duas, claras, que teve o Campeão. Se no lado do F.C.Porto foi Kléber, bem a aparecer, mas muito mal a finalizar, apesar do mérito de Nilson, no lado do Vitória valeu Hellton e depois um escorregão do avançado vitoriano na hora de facturar, para não haver golos até ao minuto 44. No último minuto e quando se esperava o empate, L.Olímpio, que já tinha feito três faltas duras, sem ver amarelo, ao contrário de J.Moutinho, que na primeira falta viu logo a cartolina, fez falta, nítida, dentro da área, penalty bem assinalado que Hulk transformou, mas com a bola dar a sensação de não entrar.
Vantagem que se aceita, mas talvez o empate fosse mais justo.


Não gostei do F.C.Porto na segunda-parte e não gostei porque não foi um Porto à procura de dilatar a vantagem, mas um Porto a controlar e sair pouco e com pouca profundidade para o contra-ataque. Tudo bem que as melhores oportunidades foram do Campeão, com Kléber, mais uma vez a ser perdulário - um ponta-de-lança de uma equipa como a portista, não pode falhar três "chances" claras de golo - mas não foi um controlo não deixando o adversário jogar, foi controlar dando espaço, permitindo lances nas costas da defesa, foi uma equipa que com uma vantagem mínima, tinha de ser mais contundente, tentar acabar com o jogo e não foi isso que aconteceu.

Concluindo:
A vitória parece-me justa, o principal objectivo foi conseguido, mas temos de melhorar bastante. No entanto e porque é justo referi-lo, há atenuantes: falta de frescura em alguns jogadores que chegaram mais tarde, Falcao, principalmente e Guarín; relvado em péssimo estado, muito solto, a prejudicar a qualidade de jogo do Campeão, muito mais burilado; mercado, o malfadado mercado, que deve deixar algumas cabeças à roda e tira-lhes tranquilidade para desenvolverem o melhor futebol.


Mesmo não tendo grande significado, a procissão ainda não saiu do adro, candeia que vai à frente alumia duas vezes e melhor ainda se os rivais já estão atrasados. Dá moral, confiança e ajuda a equipa a crescer.
Bem Vítor Pereira a mexer na equipa.

Num jogo em que ninguém brilhou a grande altura, talvez o melhor do F.C.Porto e na minha opinião, tenha sido Fucile.
O elo mais fraco, Kléber e já disse porquê.
Manuel Machado queixou-se de Benquerença no lance do penalty que deu a vitória ao F.C.Porto. Se vale agarrar um jogador e não deixá-lo disputar a bola, dentro da área, então MM tem razão, mas como se sabe, as regras não são como quer o treinador do Vitória...

Abraço

Dragus Invictus disse...

Bom dia amigo Ultra,

Ontem alcançamos uma importante vitória na cidade Berço.

É um campo difícil, onde na época transacta perdemos 2 pontos.

O Vitória jogou com muita agressividade, muitas das vezes à margem da lei, e Olegário permitiu as entradas sucessivas, uma delas a pés juntos, o que dá punição para vermelho directo.

O penalti existe, por muito que custe aos jogadores do Vitória. Existe a gravata em Sapunaru, que ao ver-se agarrado nas barbas do árbitro deixa-se cair ... e bem.

O FC Porto não fez um grande jogo, muito à semelhança da primeira jornada da época passada. Ainda falta afinar muita coisa, e definir rapidamente quem sai ou quem quer sair e coloca-los de lado.

Otamendi na minha opinião foi o melhor em campo. Foi um esteio na defesa e um autêntico bombeiro que acudiu a todos os fogos. Helton também rubricou mais uma excelente exibição.

Rolando, Souza, Sapunaru, Hulk e Moutinho também rubricaram uma boa exibição.
Varela está a melhorar.
Fucile tem de ser mais consciente, a temporizar quando deve ou não atacar.
Kléber pela negativa, sente a pressão e falhou golos "feitos".

Excelente o apoio do público portista em Guimarães, incansáveis no apoio à equipa.

Última nota para as declarações de Falcao, que era o jogador do qual eu menos esperava tais afirmações de desrespeito com o clube.

Falcao além da valia como atleta sempre me pareceu inteligente, mas o dinheiro mexe com as pessoas.

Mas o que não entendo é a burrice. Um jogador nomeado pela UEFA para melhor do ano, melhor marcador da Liga Europa tem como maior ambição jogar no modesto Atlético de Madrid. Falcao merece jogar num clube que lhe permita ganhar títulos internacionais e não o clubes de terceira linha no futebol europeu.

Segundo se pode ler na página do facebook do jornalista TSF João Ricardo Pateiro, Falcao quer mesmo sair e foi falar à zona mista sem autorização do clube.

Mas o que me deixou mesmo FODIDO, foi ele dizer que o Atlético de Madrid tem grandes adeptos e seria uma grande oportunidade para a sua carreira.... oportunidade só se for para ganhar dinheiro!!!

É certo que Falcao abriu a porta de saída ontem, e espero que vá mesmo pelos 45 milhões.. sem descontos e prestações.

E se fizer birra, veste coletes a época toda e corre à volta do campo.

Abraço e boa semana

Paulo

pronunciadodragao.blogspot.com

Dragaopentacampeao disse...

Exibição cinzenta, talvez a pior desta ainda curta época (pré-época incluída).

Muita lentidão, pouco esclarecimento, pouca intensidade, pouca imaginação e sobretudo demasiadas baldas defensivas. A sorte foi o desaproveitamento alheio.

Salvaram-se alguns fogachos do Hulk e a enorme concentração de Helton.

Vai ser necessário muito trabalho e empenho para fazer as correcções necessárias, no sentido de devolver à equipa o bom futebol a que nos habituou. Matéria prima não falta e mesmo que alguns dos jogadores mais cobiçados saiam outros cumprirão as suas missões. Queremos voltar a ser campeões.

O primeiro passo foi dado ontem com a vitória em Guimarães, onde a época passada empatamos.

Um abraço