segunda-feira, 26 de julho de 2010

Jogo de apresentação com vitória firme e postura aguerrida.

Amigos portistas,
Dou continuidade às palavras do meu amigo Sec7, que vitalidade que frescura de equipa, assim já gosto mais, não há complicações na altura do passe ou do centro, jogasse fácil, rápido e eficaz, assim está a nossa equipa, e apenas estamos no aquecimento ou seja apenas estamos afinar a nossa máquina para o grande combate no dia 7-8-2010 (Sábado) contra os mouros, e já vamos ficar praticamente com uma ideia quanto a mim, pois está claro, de quem vai discutir o 1º e 2º lugar deste campeonato época 2010/2011.
Mas verdade seja dita, ainda é muito cedo para este tipo de análise mas já são uns aninhos destas andanças futebolísticas é o que se vai aprendendo com o passar do tempo. Quanto ao jogo posso vos dizer que esta equipa do Sampdoria para mim foi uma autêntica desilusão, a nossa equipa fez gato e sapato dos italianos e não foi preciso acelerar muito. O primeiro golo dos azuis e brancos nasceu nos pés de João Moutinho e terminou na cabeça de Fernando, de bola parada, ao minuto 20, João Moutinho bateu um livre de forma exemplar e o brasileiro, dentro da grande área e no meio dos defesas italianos, cabeceou a bola e esta acabou dentro da baliza do guarda-redes Curci que nada pode fazer. Passados uns 5 minutos depois, Hulk deixou todo o Estádio do Dragão estupefacto o brasileiro enviou, de pé esquerdo, uma bomba a meio do meio-campo e a bola só parou quando encontrou as redes da baliza, que grande tiro. Pouco depois do segundo golo portista, ao minuto 27, Emídio Rafael cortou a bola com a mão dentro da grande área, e sem necessidade, o que vale isto é a feijões, e o árbitro assinalou grande penalidade a favor da Sampdoria, que ao converter a grande penalidade diminuiu assim a desvantagem dos italianos. Depois dos golos, o jogo desceu um pouco de ritmo, dando mais prioridade à posse de bola, mas o FC Porto nunca deixou de procurar o golo, na segunda parte não houve golos mas as qualidades individuais sobressaíram, Souza e James Rodríguez deram a segurança ao meio-campo e ataque portista, respectivamente.

Nota: A dispensa de Stepanov do plantel para a nova época, pois não foi apresentado, o sérvio irá ser cedido novamente e não fará parte dos planos de André Villas-Boas. Álvaro Pereira, internacional do Uruguai, não marcou presença na cerimónia, e Raul Meireles, Bruno Alves e Fucile continuam a ser jogadores azuis e brancos ao contrário de todas as histórias que temos lido nos jornais e noticiários.
Como é habitual deixo-vos umas excelentes fotos cedidas por o meu amigo e portista ferrenho Pedro Blue, e um pequeno resumo do jogo.



Fotos: SDacurva


2 comentários:

Dragaopentacampeao disse...

A equipa em crescimento, foi a constatação mais positiva retirada do jogo de apresentação de ontem.

Nota-se melhoria e entrosamento crescentes, que tornam o conjunto mais harmonioso e competitivo.

Os reforços começam a justificar a aposta à medida que a adaptação avança e os receios vão desaparecendo.

Gostei de alguns períodos de bom futebol e das exibições de Maicon, Fernando, Moutinho e Hulk.

Quanto aos «casos» Walter e Kléber, por muita estranheza que possa causar, entendo que a SAD sabe o que está a fazer. Apesar deste arrastar, aparentemente indefinido, da situação de ambos, não tenho quaisquer dúvidas que apenas se prendem com a defesa intransigente dos superiores interesses do FC Porto.

Por isso recomendo muita calma e confiança em que tem o dever de resolver.

Um abraço

Tiago Araújo disse...

Boas,

O FCPorto apresentou-se ontem com um plantel mais ofensivo ao contrário do que tinha sido do jogo com o Ajax. O treinador André Villas Boas quererá um plantel assim mais veloz... O jogo podia ter terminado 2-0 mas com os italianos a cruzarem a bola Emidio Rafael corta a bola com a mão e foi grande penalidade e assim o jogo ficou 2-1.

abraço

http://campeoesfcporto.blogspot.com